A Missão de Vida pode ser simples

Por anos e anos a minha grande preocupação nessa existência foi descobrir “a minha missão nessa vida” e isso me rendeu muitos conflitos internos e, até mesmo, crises existenciais.

A gente vê tanta glamorização quanto a isso que parece que tem que ser algo grandioso como Jesus, Buda, Madre Tereza além de tantas outros seres maravilhosos desse plano ou não fazendo coisas maravilhosas para o mundo que a comparação parece inevitável.

Me cobrei por mais de década encontrar algo que fosse uma grande missão de vida e isso acabava sendo, na verdade, um enorme peso no meu cotidiano.

Parece que chegou o dia em que eu finalmente cansei do peso dessa busca interminável e que tanto me fez mal.

Comecei a observar no cotidiano, na simplicidade das ações e das conversas as pessoas apenas vivendo suas vidas sem se preocuparem com uma missão que não fosse a de viver um dia de cada vez e ser boa pra si e para os outros. Simples assim.

Isso me trouxe alívio, leveza e um certo encantamento.

E se eu pudesse ser como essas pessoas e me contentar apenas em ser eu mesma, e viver um dia de cada vez sem a ambição de ajudar o mundo todo, ou de salvar quem eu não tenho o poder de salvar?

E se eu pudesse simplesmente viver fazendo tudo com presença e não me sentir culpada por achar que tudo que faço parece pouco?

Parece maravilhoso.

Se eu for seguir a lógica de que somos todos filhos de um mesmo Deus e, portanto, ele nos ama igual pensar em diferença entre missão pequena ou grande parece ridículo.

Então cheguei a conclusão de que o que existe mesmo é a experiência de cada um de nós a cada dia.

Aprendi que a minha real missão nessa vida é aprender a me amar e a me acolher cada vez mais sem me julgar e a me tratar bem, exatamente como eu sei bem lá no fundo que eu mereço.

Ah, mas é um longo processo… O ego quer grandeza, quer aplausos, quer ter a certeza de que é importante. Mas o que é mais importante nessa vida do que ter a certeza de que Deus me criou e me ama do jeito que eu sou como o pai de puro amor que ele é?

Para mim, pensar assim fica muito mais leve e fácil de começar a viver mais feliz.

Se eu me amo e me trato como mereço, eu vou ser o melhor para todas as outras pessoas.

Se eu me amo e me trato bem eu não vou aceitar relações indignas na minha vida e nem vou querer ser indigna com os outros.

Se eu me amo e me trato bem, eu vou trabalhar oferecendo o meu melhor no que produzir automaticamente porque estarei fazendo com toda a minha alma.

Se eu me amo e me trato bem, eu vou respeitar o meu corpo e me alimentar da melhor forma e fazer exercícios para que ele seja cada vez mais saudável e não por odiá-lo.

Se eu me amo e me trato bem eu tenho como enxergar Deus em mim mesma e, assim, enxergar Deus no outro também.

Hoje eu me perdoo por todas as vezes que me julguei, me cobrei e quis fazer coisas que não tinham conexão alguma com a minha essência.

Hoje eu escolho a leveza e você?


Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s